Gestão de Licenciamentos e Obras

Projeto de Combate a Incêndio

Dúvidas frequentes com relação ao Projeto de Combate a Incêndio

Os casos de incêndio no Brasil estão cada vez mais frequentes. Atualmente, estamos sempre vendo notícias sobre incêndios que atingiram edifícios e vidas por causa do descontrole do fogo. Para evitar ocasiões como essas, é preciso fazer um projeto de combate a incêndio.

Por meio do projeto, é possível estar atento a tudo que precisa para que não haja riscos na edificação. Mas, mesmo com muitas informações na internet, ainda há muitas dúvidas com relação ao projeto de combate a incêndio.

Por isso, preparamos esse artigo com todas as informações necessárias que você precisa saber sobre o projeto de combate a incêndio. Não deixe de conferir e boa leitura!

Quais empreendimentos precisam de um projeto de combate a incêndio?

São vários os tipos de empreendimentos que necessitam de um projeto de combate a incêndio. Galpões, oficinas e clínicas médicas entram na categoria de empreendimentos que precisam do projeto.

Isso acontece porque vários empreendimentos são obrigados, por lei, a garantir a segurança dos ocupantes e da vizinhança caso ocorra algum acidente com fogo. São vários tipos de projetos, sendo os mais comuns o simplificado e o completo.

O projeto simplificado serve para os seguintes casos:

  • Edificações entre 200 m² e 700 m²;
  • Locais que são classificados de alto risco;

Já o projeto completo, serve para os seguintes casos:

  • Edificações ou áreas de riscos que possuam área total acima de 750 m²;
  • Quando o local apresenta risco em que precise de sistemas hidráulicos que combatam incêndios;
  • Edifícios ou áreas de risco que necessitem de estruturas contra a ação do calor originada de um incêndio;
  • Locais que possam reunir um público com população maior do que cem pessoas;
  • Onde exista a necessidade de comprovar a situação de separação entre edificações e áreas de risco;

Assim, normalmente, estabelecimentos comerciais e residenciais se encaixam em, pelo menos, um dos casos anteriores. Dessa forma, acabam sendo obrigados a apresentar um sistema correto que combata incêndios caso necessário.

Os empreendimentos que precisam fazer o projeto de combate a incêndio são obrigados a fazer reformas?
Não é obrigatório que os empreendimentos façam reformas para implantar um projeto de combate a incêndio. Em alguns casos, é preciso apenas alocar tubulações e extintores.

Reformas, normalmente, ocorrem para adequar as saídas de emergência. Nesse caso, as portas precisam abrir no sentido da saída do edifício. Já as escadas, precisam ter dimensões adequadas e atender o edifício por completo.

Dessa forma, é preciso verificar com detalhes os edifícios para mapear se é ou não necessário fazer reformas. É importante lembrar também que as especificações do projeto devem ser seguidas de forma rigorosa. Isso é fundamental para que a edificação seja segura.

Há ainda edificações que precisam apenas de pequenos reparos, como por exemplo, em apenas em um dos pavimentos. Com isso, garantem a segurança necessária para o local e os ocupantes.

E se o projeto de combate a incêndio não for feito?

O Corpo de Bombeiros pode autuar os estabelecimentos que não estiverem adequados com o projeto de combate a incêndio. O órgão pode aplicar sanções administrativas, como advertências, multas e até interdições dos locais que estão inadequados.

Fora isso, colocar em risco a vida dos ocupantes e o edifício é um fator ainda mais grave. Assim, um projeto de combate a incêndio se faz necessário para comprovar que está tudo regularizado frente ao Corpo de Bombeiros. E também para resguardar patrimônios e vidas em situações de risco.

Qual o valor do projeto de combate a incêndio?

O valor do projeto de incêndio vai depender da complexidade do sistema que precisa ser projetado. Como falei anteriormente, há casos que é preciso fazer uma reforma completa. Porém, em outros, apenas algumas adequações são necessárias.

Por isso, o valor vai depender do serviço que precisa ser feito. Em resumo, quanto maior for o risco de incêndio ou outros acidentes com fogo, maior será a complexidade do sistema e o custo. O tamanho da edificação também deve influenciar no valor.

Quem pode fazer projetos de combate a incêndio?

Grande parte dos projetos precisam de uma ART, Anotação de Responsabilidade Técnica. Essa Anotação deve ser assinada por um engenheiro. Isso porque, muitos tópicos abordados no projeto precisam de conhecimento técnico suficiente para garantir a segurança do local.

Depois do projeto feito, o Corpo de Bombeiros deve emitir o AVCB, Atestado de Vistoria. O documento comprova que o projeto está de acordo com as exigências feitas pelo órgão. Vale ressaltar que o AVCB tem prazo de validade, sendo necessária a regularização de tempos em tempos.

Espero que suas dúvidas com relação ao projeto de combate a incêndio tenham sido sanadas. Se você quiser saber mais detalhes sobre o assunto, pode entrar em contato conosco. Ficaremos satisfeitos em ajudar você.

Comments are closed.